Política

Super-heróis

[Super-heróis]
02 de Novembro de 2018 às 07:39 Por: Padre Alfredo Dórea*0comentários

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana

Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia

Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia

Não, são todos o ideal, se os oiço e me falam.

Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?

Ó príncipes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!

Onde é que há gente no mundo?"

O texto de Fernando Pessoa (Poema em linha reta) mostra toda a sua atualidade, mormente na recém concluída campanha eleitoral no Brasil, onde desfilaram super heróis infalíveis e irrepreensíveis: nunca erraram, nunca falharam, nunca pediram desculpas. Quanta hipocrisia!

Combatendo as manifestações das mentiras e engodos, expressas como fake news, corrupção, calúnias, os que postulavam representação popular não hesitaram em descaradamente mentir, dissimular, negar o inegável, subestimando a capacidade de discernimento do eleitorado.

Senti falta de estadistas corajosos e sinceros, pessoas com discurso coerente, que comporta tanto o "mea culpa" quanto o arrependimento e o propósito de corrigir-se. Quem nunca errou, atire a primeira pedra.

Não foi o que assistimos perplexos. O grande Fernando Pessoa legenda, mais uma vez, os recentes fatos:

"Nunca conheci quem tivesse levado porrada.

Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo."

Vida que segue.

*Padre Alfredo Dorea escreve quinzenalmente para o BNews, e é arcebispo da Igreja Anglicana Tradicional do Brasil. Graduado em filosofia e teologia. Mestre pela Universidade Gregoriana de Roma. Atua no diálogo interreligioso, combate às violências, discriminações e preconceitos, defesa dos direitos humanos e das pessoas mais vulneráveis e empobrecidas, sobretudo as que vivem com o HIV AIDS.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

Eduardo Entrevista

Mais Lidas